segunda-feira, 24 de março de 2008

E Foi Assim Que Tudo Começou! - Parte II

Abri, então, a mensagem que dizia:"És um sonho de mulher!" Fiquei sem saber a qual delas ele se referia, se à Julia Roberts prostituta ou a que fez com um quarentão sem sentimentos se apaixonasse! Whatever...enviei-lhe resposta dizendo que se tinha enganado no destinatário, à qual ele respondeu que não, que a mensagem era mesmo para mim e mais, que me achava linda e mais meia dúzia de elogios que, de certeza, por soarem tão a cliché a minha memória fez delete!

Ao mesmo tempo que fiquei em extasie por ele me achar aquilo tudo, também fiquei desiludida porque achava-o mais sério ou menos vulgar, se é que me entendem! Um homem casado, aparentemente tão distinto, não se coibiu nada em se meter comigo e também não esteve com rodeios. Não me falou da minha personalidade ou do quanto gostava de falar comigo( e essas tretas que os homens costumam dizer quando querem engatar uma gaja), foi directo ao assunto e disse o quanto eu mexia com ele, a nível físico! Se calhar por isso achei-lhe tanta piada e dei-lhe corda!

No dia seguinte, não sei o que me deu, mandei-lhe uma mensagem a convidá-lo para tomar um café e disse que não aceitava um não como resposta! Ele aceitou o convite de imediato e lá fomos nós tomar um café, de pequeno almoço porque a nossa disponibilidade, por motivos óbvios, era muito limitada! Saímos do café porque a hora estava a avançar e o meu namorado estava a sair do trabalho que era lá perto e fomos pro carro dele que estava mais longe e resguardado que o meu! Ficamos bastante tempo a conversar, ele tremia por todos os lados e estava super nervoso! Perguntei-lhe porque estava assim, respondeu-me que a minha presença o punha naquele estado, que me achava linda e não sabia explicar porque se sentia tão nervoso! E eu divertidíssima com a situação só me ria de todo aquele embaraço que ele sentia! Como era possível um homem daquela idade e com toda aquela virilidade aparente se desmanchar todo perante uma míuda de 23anos?! Era amoroso de tão genuíno que era! Logo aí eu vi que o caçador rapidamente se transformou em presa!

Quando nos despedimos pediu-me um beijo(ora, os beijos não se pedem, roubam-se!), neguei, disse que em primeiro(e reparem na ordem de ideias) não beijaria alguém no primeiro encontro, e segundo não o faria pois ambos tínhamos companheiros, que não seria correcto! Despedi-me então com um beijo bem demorado na face, peguei no rosto dele, apertei com força a dei-lhe um beijo com direito a aquele barulho irritante e tudo!

Fomos então embora, cada um para seu lado e eu fiquei sem perceber porque marquei aquele encontro e porque já pensava num segundo! Não o beijei, mas a verdade é que se ele em vez de perguntar o tivesse feito eu não ofereceria resistência, pois também o desejava!

Ficou a expectativa de um novo encontro e a ansiedade típica dum começo de paixão! Ou então a adrenalina de estar a viver algo(supostamente)proibido!...

2 comentários:

Charmoso disse...

A sério que ele pediu um beijo??? Pediu???
loooooooooooool
Que cena marada! Claro que disseste que não, ele estava à espera que dissesses o quê?

bjs com charme

Bombocaa disse...

Ah...quero saber o resto.
E daí ele ter pedido o beijo?!Ele nem devia de estar a pensar direito...e eu gosto que me peçam beijos e não que mos roubem assim sem mais nem quê...
:)