quarta-feira, 9 de maio de 2012

Ai Se Eu Te Pego...Ups...Peguei



Eu não vos disse que o destino é poderoso e de nada vale apressá-lo, o que tiver de ser será e saberá ainda melhor!

Mais uma tarde a assistir a um concerto e mais uma tarde a estar com o R. Na passada quinta feira, mais uma vez o destino quis, que o R não tivesse boleia da mulher, perfeito, os deuses não podiam conspirar melhor ou então o pecado atentar pior! Imediatamente quis oferecer-me (a mim não, a boleia) para o levar a casa, mas havia um pequeno pormenor, bastante irritante por sinal, a minha amiga não deixava, pois teria de dizer à dita cuja que o marido ia ser escoltado por uma loira fantástica que não pára de dar em cima dele. 

Ora bem, para parva, parva e meia! Sim, porque isto de ter amigas é muito giro, mas quando estas vêm munidas de consciência a mais dá nisto, e não me interpretem mal porque eu adoro a S só não gosto  quando ela não pára de interferir nos meus planos. Pois bem, disse-lhe que se a fizesse sentir mais tranquila a filha dela podia acompanhar-nos e depois eu deixava-a em casa. Como não se pode ter tudo e o que Deus lhe deu a mais na consciência tirou na inteligência, assim sendo, ela concordou. A miúda, que por sinal é mais perspicaz do que a mãe e menos moralista, disse logo para eu a deixar primeiro em casa, nem foi preciso pedir duas vezes.

Nesta volta já não era preciso armar-me em pseudo gaja fixe sem qualquer tipo de segundas intenções, já tinha ganho a sua confiança e por conseguinte a certeza de que ele estava a gostar. Portanto fui directa ao assunto e comecei por lhe explicar o porquê da chavala vir connosco e afinal ficar primeiro em casa. Disse-lhe que a S não me queria deixar sozinha com ele porque achava que eu andava a dar em cima dele, imediatamente confirmei que ela até tem razão mas, também, não tem nada a haver com o assunto e perguntei-lhe se ele se sentia desconfortável (fartinha de saber a resposta, claro).

Ele disse que não estava nada desconfortável, que até achava tudo muito excitante, mas enfim tem aquele defeitozinho que já sabemos qual é, e por conseguinte não pode fazer nada. O que não quer dizer que eu também não possa... Cada um sabe de si e eu tenho muitos defeitos mas não padeço do mesmo que ele. 

Uma vez que ele não estava nada desconfortável aproveitei para testar os seus limites e pedi-lhe o número de telefone, sim porque desta vez seria estupidez esquecer-me de tão precioso detalhe. Ele deu sem grande relutância e despedimos-nos. 

Agarrei-lhe a cara para o cumprimentar e dei-lhe um beijo na boca e dois na cara. Ele não estava mesmo nada à espera e ficou super aflito, pois estávamos a escassos metros de casa dele e temia que alguém tivesse visto. Expliquei-lhe que ele não vê mas eu sim e além do mais não sou parva e verifiquei que não havia ninguém que nos pudesse ver, mesmo assim ele ficou atordoado por uns minutos e queria sair do carro o mais rápido possível.

Agarrei-lhe o braço e disse-lhe para respirar e ter calma que ninguém tinha visto, além do mais queria certificar-me de que não tinha assustado a presa antes do tempo e colocado tudo a perder. Qual quê?! Após ter inspirado e expirado fundo acalmou e sorriu, disse que eu era completamente louca e voltou a sorrir. Pronto, já está mais calmo e pronto para o segundo bote, quer dizer pronto para continuar a desenvolver a nossa amizade.

Apenas lhe dei um "selinho" como dizem os brasileiros, algo sem maldade nenhuma e demasiado inocente para o que eu tenciono a seguir, mas apeteceu-me e não consegui evitar. Depois disso não consegui tirá-lo da cabeça e ruí-me toda para não o bombardear com mensagens. 

No dia seguinte apenas enviei um sms para saber se tinha corrido tudo bem (é que a mulher ligou-lhe no meio da boleia e ele disse que a miúda nos acompanhava, só o facto de mentir já denuncia as suas intenções) ao que ele nem se dignou a responder. Fiquei sinceramente preocupada a achar que tinha havido bronca e resolvi ligar-lhe. Estava tudo bem apenas não tinha conseguido responder-me, pois a tarefa é um pouco árdua devido à sua condição, a sua voz estava descontraída, era todo sorrisinhos e até algumas piadas parvas.

Está definitivamente a gostar...e eu também...

Não há fome que não dê em fartura e se andei aí uns tempos que até paredes trepava, agora a minha vida é um filme, eu diria mesmo uma trilogia, mas mais para a frente conto-vos as outras sagas do filme.

Até breve!



2 comentários:

Charmoso disse...

Ai ai, quem me dera me comessem assim!

ahahah

beijos com charme

Silva disse...

Bom dia Jersey!

Tem estado ausente...
Aguardamos desenvolvimento.

Cumprimentos
Silva